Arteterapia e Educação

Celeste Carneiro

Através da nossa experiência ao longo destas três últimas décadas trabalhando com Artes e Educação, pudemos constatar o quanto as atividades artísticas facilitam a aprendizagem de qualquer disciplina, sendo grandes parceiras na produção do conhecimento e do desenvolvimento do potencial humano.

Atividades como dramatização, música, artes plásticas, modelagem e toda uma gama de expressões artísticas, incluindo desenhos feitos no computador, enriquecem as aulas em qualquer nível de escolaridade.

Mais recentemente, em nosso país, o atendimento com Arteterapia tem servido para tratar os mais diversos problemas, tanto de aprendizagem como também para as questões mais difíceis e traumáticas, proporcionando uma visão mais rápida e profunda daquilo que infelicita as pessoas, uma vez que o seu instrumento é o símbolo e não somente as palavras.

A Arteterapia vem sendo usada em clínicas, hospitais, escolas, empresas, como mais um recurso de crescimento interior e bem-estar das pessoas.

A importância maior está naquilo que a arte revela do inconsciente e o seu efeito no consciente, melhorando o seu viver e o seu sentir.

O aprofundamento no estudo das características do ser humano, assim como das suas dificuldades, facilitará a atuação de quem lida com gente.

Numa sala de aula, por exemplo, estão reunidos alunos de diferentes formas de ser. Um professor hábil utilizará de recursos que atinjam a cada um de forma apropriada. O psicoterapeuta Carl Gustav Jung identificou quatro tipos diferentes de pessoas, ou quatro funções psíquicas, acrescidos da forma como elas se colocam no mundo: as que se identificam com o exterior são as extrovertidas; as que trazem suas impressões e valorizam mais o seu mundo interior são as introvertidas. As funções psíquicas são: pensamento - aquelas pessoas que ficam à vontade quando o assunto exige raciocínio lógico; sentimento - fazem julgamento a partir do que sentem; sensação - preocupam-se mais com o aqui e agora, o concreto, o material; e intuição - as pessoas que valorizam os seus sonhos, intuição, a imaginação e dão asas à sua criatividade.

Na aula, se forem utilizados recursos que atendam a todos esses tipos de personalidade, o rendimento será bem melhor. Poderemos usar, por exemplo, os recursos do Mapa Mental, a Imaginação Criativa, Associação, Exercícios de Relaxamento, trabalhos corporais, mandala, etc. Com algumas dessas atividades as pessoas se aquietam, desenvolvem a atenção e a concentração, estimulam o raciocínio lógico, a habilidade com a Geometria, desenvolvem a organização interna, o que reflete no seu exterior.

Além do trabalho de treinamento de professores e atividades em sala de aula, a Arteterapia tem um lugar de muita eficácia no atendimento individual aos alunos que apresentam alguma dificuldade, seja ela de aprendizagem ou de ordem emocional e familiar.

Artigo publicado no Jornal Gazeta do Oeste.

Celeste Carneiro é autora de livros sendo o mais recente Arte, Neurociência e Transcendência publicado pela WAK Editora. Os livros estão em livrarias por todo o país e também podem ser adquiridos pelo e-mail wakeditora@uol.com.br ou diretamente com a autora: www.artezen.org e http://criatividadeecerebro.blogspot.com/.