Criatividade na Empresa

Celeste Carneiro

Acompanhando o processo de desenvolvimento das empresas ao longo dos últimos séculos, e estudando as perspectivas para o século atual, percebemos que o uso da criatividade e o equilíbrio emocional têm sido muito importantes para a manutenção e sustentação no mercado para aqueles que desejam se firmar e crescer como um bom profissional.

Segundo Edward de Bono, autor de vários livros sobre criatividade, especialmente dirigidos para Administradores de Empresas, o ser humano tem um potencial criativo imenso, mas desconhecido, e esse potencial é o que faz a diferença.

Por outro lado, Peter J. Frost, professor de Comportamento Organizacional da Universidade British Columbia, pesquisador e educador reconhecido, com várias obras científicas publicadas, afirma que as emoções negativas têm efeito destrutivo no trabalho.

Raiva, tristeza, desestímulo profissional, dentre outras emoções, repercutem no baixo desempenho dos funcionários, e, conseqüentemente, há um precário rendimento.

Diante dessas observações, a mudança de paradigma nas Empresas tem sido uma necessidade emergencial, visando a produção, com pessoas criativas e saudáveis, num ambiente seguro e agradável. Desta forma, as Empresas passarão a ser mais do que uma organização – serão um organismo vivo e duradouro, como bem diz Pierre Weil, reitor da Universidade Holística Internacional - UNIPAZ.

Segundo ele, a nova cultura organizacional deverá dar atenção à Produção, à Pessoa e à Plenitude, os "Três Pês" denominados por Pierre Weil. Estes três elementos, juntos, facilitarão o desenvolvimento do ser humano com os valores éticos e estéticos, produzindo e beneficiando a si mesmo e à humanidade.

Aqueles que participam dos nossos cursos, ao longo desses anos, afirmam haver conseguido maior consciência do seu potencial criativo, aplicando no dia-a-dia a criatividade. Percebem também o aumento do senso de organização, a capacidade de concentrar-se e ficar atento, assim como o sentir-se mais intuitivo e equilibrado nas suas relações interpessoais.

Com técnicas especiais de desenho, música que leva a um estado de relaxamento atento, exercícios corporais e mentais, como Ginástica Cerebral e Neuróbica, o aluno percebe em si mesmo o desenvolvimento de potencialidades até então desconhecidas, elevando sua auto-estima, segurança e harmonia interior. Este trabalho tem sido reconhecido em vários países.

Nos atendimentos individuais procuramos avaliar quais as áreas de dominância cerebral e os exercícios mais indicados para estimular o cérebro como um todo, buscando integrar os hemisférios cerebrais.

O resultado deste trabalho de pesquisa do efeito da arte no cérebro humano, que venho aprofundando e expandindo desde 1992, foi publicado no livro lançado recentemente, Criatividade e Cérebro – Um Jeito de Fazer ArteZen, disponível nas livrarias.