Criatividade e Cérebro – 20 anos enriquecedores

Celeste Carneiro (Maria Celeste Carneiro dos Santos)

Resumo: este trabalho é uma síntese dos resultados do curso Criatividade e Cérebro, ao longo dos seus vinte anos já transcorridos, tendo como objetivo apresentar os benefícios por ele gerados a todos que participaram e os efeitos da prática da arte no bem-estar do indivíduo, divulgados em vários artigos publicados. A metodologia dos recursos artísticos utilizada é apoiada na Neurociência, na Arteterapia, nas Terapias Humanistas e Transpessoais. É interessante acompanhar a evolução do curso Criatividade e Cérebro, considerado inovador, junto com os avanços das Ciências nessas últimas décadas e observar o seu alcance bastante abrangente atingindo todas as faixas etárias, proporcionando melhoria nas dificuldades apresentadas pelos interessados que o procuram. Concluímos que a arte é uma ferramenta fundamental para o equilíbrio e desenvolvimento do ser, principalmente quando ela vem embasada nas pesquisas atuais da ciência.

Palavras chaves: Criatividade – Cérebro – Arteterapia – Neurociências

Resumen: este trabajo es una síntesis de los veinte años de el curso Creatividad y el Cerebro, tenendo como objectivo presentar los resultados inesperados em los últimos años, em el cual benefició a muchas personas y difundiólos propósitos del arte para el bienestar del individuo. Se utilizo la metodología de los recursos artísticos, apoyado en la Neurociencia, em Arte Terapia, y Terapias Humanista y Transpersonal. Com los avances de la ciência em las últimas décadas es interesante seguir la evolución de este curso Creatividad y Cerebro considerado innovador y con una gama muy amplia, atingindo a todos los grupos de edad y proporcionando mejoras em las más diversas necesidades presentadas por las partes interesadas que lo buscan. Concluimos que el arte es una herramienta fundamental para el equilibrio y desarrollo del ser, especialmente cuando se basa em la investigación actual de la ciencia.

Palabras clave:Creatividad – cerebro – arte terapia – neurociencia

Summary: this work is a synthesis of the twenty years of the course Creativity and Brain, and aims to present the unexpected results achieved over the past years. Creativity and Brain has benefited many people and disseminated the effects of art for the well-being of the individual. We used the methodology of artistic features, supported by neuroscience, and by MPS art therapy, Humanistic and Transpersonal Therapies. With the advances of science in recent decades it is interesting to follow the evolution of the course Creativity and Brain considered innovative and with a very comprehensive range, hitting all age groups and providing improvement in the most diverse needs presented by whoever look for it. We found that the art is a fundamental tool for the balance and development of being, especially when it is based on the actual research of science.

Keywords: Creativity – Brain –art therapy – Neuroscience

Neste ano de 2012 está completando 20 anos que iniciei o curso Criatividade e Cérebro. Inicialmente ele foi criado com o nome de DLADIC – Desenvolvimento do Lado Direito do Cérebro, em 1992, cuja intenção era desenvolver as habilidades latentes em nosso hemisfério cerebral direito, sendo o trabalho criativo um dos meios propostos para atingir este objetivo.

A experiência nessa área, remonta ao meu tempo de adolescente, quando pintava, fazia parte de teatro e tinha contato com a música. Depois, já formada em Artes Plásticas participei de exposições em São Paulo e Salvador (BA) e lecionei Educação Artística nestas cidades, quando tive a oportunidade de revelar alunos artistas e assistir a algumas premiações tais como de uma aluna que ganhou no Concurso Municipal de Criatividade, em São Paulo; em Salvador um aluno da 3ª série ganhou uma bicicleta por ter conquistado o 3º lugar no Concurso Nacional de Desenho sobre o Trânsito; outros alunos ganharam medalhas de ouro, prata e bronze, além de presentes, num Concurso Mundial de Desenho Infantil, promovido pelo Japão em 1987, cujos desenhos foram expostos em muitos países. A partir daí, o desejo de fazer a luz da criatividade brilhar em um número maior de pessoas aumentou e o curso Criatividade e Cérebro foi idealizado – um curso que motiva as pessoas a entrar num estado de relaxamento que propicia o acesso ao espaço da criação no seu interior. (CARNEIRO, 2004)
Esse estado é semelhante ao da meditação zen, quando procuramos estar consciente no momento presente, ao realizar alguma tarefa, ainda que esta tarefa seja só a contemplação e meditação propriamente dita.


Em 1994 ocorreu a Semana do Potencial Humano, sob a minha coordenação, com exposição dos trabalhos de alunos e outras práticas complementares para a saúde, apresentadas por vários profissionais, em um Shopping de Salvador.
Desde a publicação de um artigo em Inglês no site Cérebro & Mente, da Unicamp, em 2002, a repercussão nos diversos países tornou-se um fato: Brasil e seus diversos Estados, Portugal, Alemanha, Estados Unidos, Coreia do Sul, Japão, Índia, Chile, Bolívia... enviam e-mails com perguntas diversas, agradecimentos pela divulgação do trabalho, interesse em fazer o curso e em adquirir os livros Criatividade e Cérebro e Arte, Neurociência e Transcendência. O trabalho tem sido citado em sites americanos e nacionais. Também a experiência com mandalas apresentada na Jornada da Unipaz, em Versalhes, na França, em 2003, teve receptividade dos participantes, vindos de Paris e interior da França.
Em 2004 foram construídos gráficos demonstrando o resultado do curso Criatividade e Cérebro em alunos que freqüentavam o ateliê e em alunos de uma Faculdade para a Melhor Idade. Estes gráficos foram publicados em alguns artigos e apresentados em Congressos e Jornadas:


Relacionada abaixo, está a seqüência decrescente das porcentagens de melhoras encontradas.

Desempenho escolar - 20%
Intuição - 17,4%
Autoconhecimento - 17,4%
Relacionamentos - 17,4%
Capacidade Artística - 14%
Auto-estima – 13,72%
Segurança íntima – 9,8%
Organização - 9,09%
Percepção visual - 8,93%
Aprendizagem do desenho - 8,47%
Flexibilidade mental - 8,16%
Criatividade - 8,06%
Confiança – 7,84%
Memória - 7,5%

No segundo gráfico, estão evidenciados os aspectos que sofreram uma alteração maior, dentro de uma escala: melhorei um pouco; melhorei muito; e mudança surpreendente. O desempenho escolar e o aumento da auto-estima foram os itens que contaram com o maior índice de mudança surpreendente. A mudança surpreendente ficou por conta daqueles que acreditavam não saber desenhar de jeito nenhum, e dos que tinham mais dificuldade de atenção e concentração.



1 – Mudança surpreendente - 8,54 %
2 – Melhorou muito - 34,55 %
3 – Melhorou um pouco- 56,91 %

Ainda em 2004, foi publicado o livro com o mesmo nome – Criatividade e Cérebro, onde apresenta, passo a passo, os exercícios e reflexões feitos no decorrer do aprendizado. Interessados de diversas cidades do nosso país e de outros países que o adquiriram, utilizam como material de apoio em aulas e atendimentos terapêuticos. Também é usado como referência em cursos de pós-graduação de diversas Faculdades, sendo citado em suas monografias. Esse livro encontra-se em preparo para a terceira edição.
Em 2005, no Forum de Arteterapia, na Escola de Medicina e Saúde Pública, na capital baiana, foram apresentados em painéis os trabalhos realizados no decorrer do curso.
Durante este percurso, foram dadas aulas para vários grupos, inclusive para alunos de cursos de pós-graduação; entrevistas e reportagens em todos os jornais e emissoras de TV de Salvador, além de revistas diversas que divulgaram o curso Criatividade e Cérebro.
Em 2006, no curso realizado na Faculdade para a Melhor Idade, foi feita nova coleta de dados da qual gerou estes gráficos:

Avaliação do curso Criatividade e Cérebro para a Terceira Idade
Início: Maio/2006

Frequência e idade:
1 – 44
1 – 58
2 – 59
1 – 63
3 – 74 a 76
2 – 80

Sexo: Feminino

Profissão:
Aposentadas,
Museóloga,
Artista Plástica,
Comerciária, do Lar



Nos trabalhos realizados com idosos o que se nota é um aumento de concentração, de calma, de atenção, da memória, percepção visual e segurança íntima.
Com o crescente número de pessoas na faixa etária acima dos 60 anos que sai em busca de uma melhor qualidade de vida, foi importante constatar o efeito do curso Criatividade e Cérebro na preservação das funções cerebrais e aquisição de novas habilidades, dando-lhes alegria, mais autoestima, mais segurança e melhor disposição para viver.
Em 2007 o curso institucionalizou-se, quando se tornou uma Disciplina da pós-graduação em Arteterapia no Instituto Junguiano da Bahia, em parceria com a Escola Baiana de Medicina e Saúde Pública, onde passei a lecionar. O livro Criatividade e Cérebro é o livro-texto, por ele as aulas são baseadas.
O efeito do curso e dos atendimentos individuais foram apresentados no Congresso Internacional da Associação Luso-brasileira de Transpessoal, acontecido na cidade de Évora, em Portugal no ano de 2008. O mesmo vem acontecendo em outros Estados do Brasil.

Aliou-se ao programa do curso a Ginástica Mental em 1999 com atendimentos individuais,e a partir de 2010 estendeu-se a grupos.
Na Ginástica Mental, voltada para adultos e idosos que desejam ativar a memória inclui exercícios para estimular o raciocínio lógico, de concentração, de atenção, e para estimular a memória de curto e de longo prazo, assim como a criatividade. O ambiente de trabalho é propício ao relaxamento, à prática de visualizações e movimentos corporais para ativar determinadas regiões do encéfalo através da Ginástica Cerebral e Neuróbica.
Em 2010 foi publicado um artigo no Jornal de Pesquisas em Transpessoal (Journal of Transpersonal Research), da Europa, o que despertou interesse em pessoas da Letônia e região do Leste Europeu, solicitando mais artigos e demonstrando interesse pela forma de desenvolver a criatividade.

Foi inesperado o efeito do curso Criatividade Cérebro, além do que se imaginava: as pessoas não apenas aprendiam a criar e a desenhar bem, como melhoravam seu estado de saúde: física, emocional e psíquica. Este fato foi intrigante e me motivou a estudar com mais apuro as causas do seu êxito que ora exponho aqui através de alguns esclarecimentos, de forma bem resumida: o relaxamento causa um efeito para o bem-estar físico e psíquico, influencia no Sistema Límbico, no comportamento, na aprendizagem e na capacidade criadora que todos nós temos.
O Sistema Límbico é um conjunto de pequenos órgãos dispostos na região central do encéfalo, responsável pela nossa emoção, assim como pela memória, impulsos, reações de luta, fuga ou paralisação diante de algum evento.
Alguns desses órgãos do Sistema Límbico são o hipotálamo, as amígdalas e o hipocampo. O hipotálamo controla a fome e a saciedade, os impulsos sexuais, a temperatura corporal, a liberação de hormônios que preparam o corpo para fugir, lutar ou ficar parado. As duas amígdalas estão relacionadas a processos de aquisição de memórias e seus neurônios são especializados em deflagrar estímulos emocionais. O hipocampo é o responsável pela aquisição de novas memórias, além de participar dos estados emocionais.
Embora os estímulos emocionais surjam no Sistema Límbico, eles devem ser processados pelo córtex frontal, havendo conexões que ligam essas áreas, sendo em mais quantidade as conexões que surgem do sistema límbico em direção ao córtex. (DANUCALOV & SIMÕES, 2006)

O efeito da música relaxante, do silêncio enquanto se trabalha e do próprio exercício de desenho específico que requer uma atenção focada, uma concentração mais apurada, produz um estado de serenidade que envia a mensagem para o Sistema Límbico de que está tudo bem... Então esta mensagem é transmitida para o córtex frontal que também relaxa. E isto faz com que a aprendizagem se faça mais efetiva, a postura diante das dificuldades da vida sejam mais coerentes e equilibradas. E como a criatividade é aliada à liberdade, a pessoa torna-se mais criativa, pois não sente tanto as pressões emocionais que a perturbava.
Trabalhando com o Sistema Límbico, foi possível alcançar o relaxamento, a criatividade, melhorar a autoestima, o equilíbrio, facilitar o autoconhecimento e a aprendizagem, além de estimular a memória e acessar as lembranças antigas, muitas das quais doloridas, prejudicando o momento presente.
Aprofundei estudos na área da Neurociência, da Psicologia Humanista e Transpessoal, da Arteterapia e da Terapia de Vivências Passadas. Busquei integrar estes conhecimentos para melhor servir nos atendimentos individuais que passei a fazer em meu ateliê, a partir do final de 1999 e a partir de 2000 em clínicas e no Espaço Terapêutico que preparei para este fim.
A Neurociência, uma ciência interdisciplinar que surgiu a partir da década de 60 do séc. XX, nos Estados Unidos e a partir da década de 70 no Brasil, vem esclarecendo a relação entre sistema nervoso e comportamento, sua fisiologia, o estudo da psique relacionado com o funcionamento do cérebro, os estados não usuais de consciência induzidos pela meditação e outras técnicas, o efeito no cérebro da visão de algo belo, assim como da lembrança de símbolos religiosos... Temos muito ainda a estudar e pesquisar.

A Psicologia Humanista e a Transpessoal, surgidas na primeira metade do séc. XX, nos apresentam o ser humano com uma visão mais integral, englobando suas várias dimensões, oferecendo uma gama enorme de possibilidades para o desenvolvimento do potencial humano, o que inclui a sua criatividade e a espiritualidade.
A Arteterapia, iniciada na década de 40 nos Estados Unidos e na década de 80 no Brasil, facilita o acesso às regiões do inconsciente usando imagens, símbolos, cores, músicas, o lúdico e criativo, através das várias formas de expressão artística, que são acompanhadas pelo arteterapeuta com o cuidado e a delicadeza de quem é sensível ao outro.
E a Terapia de Vivências Passadas, modalidade terapêutica apresentada por terapeutas transpessoais, faz trazer memórias perturbadoras que ficaram enganchadas em algum lugar do passado e com seus recursos próprios são resgatadas e trabalhadas para serem em seguida ressignificadas e liberadas. (CARNEIRO, 2010) Para falar desta experiência enriquecedora ao longo desses anos e dos estudos que fiz nas diversas especializações, escrevi o livro Arte, Neurociência e Transcendência, publicado em 2010 pela WAK Editora, do Rio de Janeiro.

Com os avanços tecnológicos, hoje em dia, o que se afirma é que o nosso cérebro funciona em rede, onde um estímulo em determinada área envia impulsos para as demais regiões do cérebro, que trabalham como numa grande orquestra bem distribuída pelo palco do Teatro. (NICOLELIS, 2011)

Graças aos sofisticados aparelhos de ressonância magnética captando imagens cerebrais enquanto a pessoa encontra-se consciente, os pesquisadores divulgam os efeitos causados pelos nossos pensamentos, atitudes e emoções sobre o cérebro.
Embora haja regiões específicas que exercem determinadas funções, como a fala, a compreensão da linguagem, os movimentos conscientes, o comportamento, as ações instintivas, etc., sabemos hoje que o nosso cérebro funciona também em redes neurais que se comunicam envolvendo todo o encéfalo. Quando lemos, ativamos uma área do hemisfério esquerdo, quando falamos envolvemos outra área do mesmo hemisfério; quando modelamos o tom da voz e nos emocionamos com o que falamos ou lemos, ativamos áreas do hemisfério direito. Porém, quando falamos a mesma coisa em outro idioma, são ativadas áreas diferentes do cérebro.
O físico quântico indiano, Amit Goswami, radicado nos Estados Unidos, afirmou num Congresso de Transpessoal em 2010 que com as pesquisas da física quântica, a memória está fora do cérebro, é não-local, o que nos leva a pensar em outras possibilidades de conhecimento.
O nosso célebre cientista brasileiro, Miguel Nicolelis, com seu brilhante estudo para decifrar "a melodia produzida pelos universos neurais" adquiriu a habilidade de "documentar a atividade integrativa do cérebro desperto" (NICOLELIS, 2011). Com isso, muitos conceitos da neurociência foram repensados e novos horizontes surgem, levando-nos a crer que unindo as pesquisas de quem não crê na vida espiritual com as investigações daqueles que acreditam nessa possibilidade, como o Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, médico e pesquisador da glândula pineal, que coordena o curso de Medicina e Espiritualidade na Faculdade de Medicina da USP, todos nós sairemos ganhando, pois tudo é necessário e tanto uns quanto outros têm capacidade para persistirem em suas buscas, visando o crescimento do ser humano.

Assim, é com grande alegria que chegamos ao vigésimo ano desse curso que nos trouxe muitos ensinamentos e oportunidades, fazendo-nos sentir um instrumento de divulgação de algo que é maior do que o que sei e imagino, conduzida que sou por seres que sabem aonde querem chegar e aonde eu devo ir, quando e como... É só me deixar seguir no fluxo da vida, sob o impulso da criatividade e da inspiração! Minha enorme gratidão a todos os que trilham comigo este caminho.

Salvador, 08 de Fevereiro de 2012.

REFERÊNCIAS
CARNEIRO, Celeste. Criatividade e Cérebro – Um Jeito de Fazer Artezen. Salvador: Ponto & Vírgula, 2004
CARNEIRO, Celeste. Arte, Neurociência e Transcendência. Rio de Janeiro: WAK Editora, 2010
DANUCALOV, Marcelo Árias Dias & SIMÕES, Roberto Serafim. Neurofisiologia da Meditação – Investigações científicas no Yoga e nas experiências místico-religiosas: a união entre Ciência e Espiritualidade. São Paulo: Phorte, 2006
NICOLELIS, Miguel. Muito Além do Nosso Eu: a nova neurociência que une cérebros e máquinas – e como ela pode mudar nossas vidas. São Paulo: Companhia das Letras, 2011

1 - Celeste Carneiro é Arteterapeuta, Terapeuta Transpessoal e Junguiana, Artista Plástica e Educadora ASBART/UBAAT – 0035/0906 - ALUBRAT - 09/0138

Especialização em Arteterapia Junguiana e em Psicologia Transpessoal aplicada à Educação e à Gestão de Pessoas. Formação em Terapia de Vivências Passadas e em Psicologia Humanista e Transpessoal. Professora em cursos de pós-graduação e supervisora. Autora de artigos e livros. Graduada em Artes Plásticas (SP). Membro da Associação Baiana de Arteterapia e da União Brasileira de Arteterapia (ASBART/UBAAT), sendo Diretora da ASBART e conselheira da UBAAT; membro da ALUBRAT - Associação Luso-brasileira de Transpessoal; coordenadora na Bahia do Colégio Internacional dos Terapeutas (CIT - UNIPAZ).

Contatos: cel5@terra.com.br - criatividadeecerebro.blogspot.com/
(71) 3497-1306 / 3237-5570 / 8874-1155

Centro Odonto Médico Henri Dunant - R. Agnelo Brito,187, sala 107 - Federação, CEP 40210-245 - Salvador - Bahia - Brasil